Parecer da reforma dos militares garante paridade e integralidade entre ativos e inativos

O parecer do Projeto de Lei 1645/2019, que trata da reforma da previdência dos militares e que tramita na Câmara Federal, foi lido à comissão especial no dia 2 de outubro pelo relator deputado Vinícius Carvalho. O conteúdo apresentado é a última versão do texto, que será votado no dia 18 de outubro. A reforma dos militares foi enviada ao Congresso pelo governo federal no início do ano e inclui integrantes das Forças Armadas, policiais militares e bombeiros.

O texto garante às categorias a paridade e integralidade, ou seja, ao se aposentar terão direito a receber o valor do último salário e também terão os mesmos reajustes dos ativos. Esses direitos foram assuntos de manifestações nos últimos dias que mobilizou toda a classe.

Leia também:
> Sócios-fundadores são homenageados pela ACS
> Participe da comemoração do Dia das Crianças na Colônia de Itanhaém I
> Regional de Botucatu prestigia sessão solene em homenagem a associado

Em contrapartida, o tempo de contribuição aumenta dos 30 para os 35 anos e a alíquota previdenciária passa dos atuais 7,5% para 9,5% em 2020 e 10,5% a partir de 2021.

O comandante geral da PMESP, coronel Marcelo Vieira Salles, acompanhou a leitura do texto e comentou a mais nova conquista à classe Policial Militar.

Veja também na TV ACS:

Artigos relacionados