ACS coloca advogado à disposição dos PMs associados em ação no 5º BPM/M

Compartilhe este conteúdo

Na tarde de 25 de junho, a Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo cercou a sede do Quinto Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (5º BPM/M), na zona norte da capital, para investigar denúncia anônima sobre irregularidades na unidade.

Assim que soube da ação da Corregedoria, o Departamento Jurídico da Associação dos Cabos e Soldados (ACS) enviou prontamente ao Batalhão o advogado de plantão, Dr. Frederico Nogueira, para prestar apoio aos policiais militares da unidade, se necessário. O advogado permaneceu no local à disposição dos associados que necessitassem de alguma orientação ou acompanhamento em qualquer situação.

Segundo informações apuradas pelo próprio Dr. Frederico, até o início da noite não havia ocorrido nenhuma apreensão, nem prisão de policial, apenas conversa da Corregedoria com o comando e alguns policiais da unidade em busca de indício de crime.

Durante a operação, ninguém pôde entrar ou sair da unidade. O motivo da investigação também não foi divulgada, já que trata-se de investigação sigilosa. Segundo o porta-voz do Batalhão, todos os detalhes da ação serão divulgados oficialmente pela sala de imprensa do Centro de Comunicação Social da PMESP.

A Associação dos Cabos e Soldados tem-se feito presente em todos os casos de repercussão, sempre primando pelo princípio da inocência até que se prove o contrário. Não permitiremos que arbitrariedades sejam cometidas com nossos associados.

O Departamento Jurídico da ACS está à disposição de seu quadro associativo! Caso necessite, acione um advogado pelo telefone (11) 3871-8100 a qualquer hora.

É o Plantão 24 horas da ACS presente em todos os lugares, em qualquer situação!

Dr. Frederico Nogueira, advogado da ACS, em frente ao 5º BPM/M durante ação da Corregedoria
Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados