A doença dos PMs que o governo não quer mostrar, muito menos assumir

Há muito tempo, os integrantes da Polícia Militar estão com uma doença muito grave, mas que ninguém quer admitir, principalmente o governo, o verdadeiro e único responsável pela situação lamentável a que os policiais militares se submetem diariamente para tentar compensar um dos piores salários pagos na categoria em todo o Brasil.

Ontem (04/12), no centro da maior metrópole do país, aconteceu uma situação que retrata a verdadeira condição da tropa paulista, que está cada vez mais estressada e cansada pelo excesso de cobranças, atualmente ainda mais severas, já que vêm agora de ambos os lados; tanto do governo quanto da população, que também já está infectada com o vírus do ódio disseminado, muitas vezes, pelos órgãos que deveriam defendê-los e também; claro, pela mídia voraz por notícias que somente quer explorar o lado negativo e difamar a Instituição Policial Militar.

Um vídeo gravado deste momento deplorável, onde um PM aponta a arma para o parceiro e brigam em uma rua movimentada em plena luz do dia, já correu o mundo; mas infelizmente com uma conotação diferente, que só vem caluniar e maldizer os atos dos policiais militares, generalizando e rotulando toda a Corporação como despreparados e incompetentes.

Pouquíssimas pessoas conseguirão discernir o real motivo a que pode ter levado este policial a cometer esse ato desesperado, mas nós, uma entidade que luta para defender os direitos e interesses da família policial militar, podemos apontar claramente quais são as verdadeiras razões do fato ocorrido. Lamentamos profundamente a ocorrência, mas lamentamos ainda mais a punição que este policial sofrerá, principalmente por enxergarmos que ele não é o único culpado na situação.

Infelizmente, o triste fato ocorrido é consequência das dificuldades psicológicas que os PMs do estado sofrem por conta das péssimas condições de trabalho e da pressão diária. O Estado, que deveria preocupar-se com a qualidade de vida destes agentes que se sacrificam pelos cidadãos, pouco mostra interesse em mudar o lastimável cenário e cada vez mais vai minando a saúde mental da tropa.

Lamentavelmente, a cada dia o número de procura pelos atendimentos voltados à problemas psicológicos aumenta em nossa entidade. Lamentamos, pois o ideal seria que nossos policiais militares tivessem condições plenas de trabalho e vida, e, portanto, não precisassem passar por esse tipo de tratamento somente para conseguirem enfrentar as inúmeras dificuldades provenientes de sua função.

Nestas horas, é bastante insensato por parte do governo criticar a lastimável cena protagonizada pelos integrantes da melhor polícia do país e responder que já retiraram os PMs de serviço e que estão adotando as providências cabíveis. Assumir a culpa, jamais! Mais conveniente dizer que a situação foi repulsiva e desaprovar a atitude dos envolvidos.

Situação repulsiva, mas é a pura realidade!

Artigos relacionados