Votação em 2º turno da PEC 300 prevista para o dia 20 ou 21 de agosto

tn_620_600_PEC_300__Laycer_Thomas__Camara_Federal_020310

 

A aprovação “a toque de caixa” na Câmara Federal da destinação dos royalties do petróleo para a educação (75%) e saúde (25%) deveria ser revista no Senado Federal para que a receita auferida com a cobrança de impostos na extração de petróleo viabilize a criação de um Fundo Nacional da Segurança Pública mediante a aprovação da PEC 300, declarou o Presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Wilson Morais, ao lembrar que a PEC 300 busca um piso salarial nacional entre os Polícias e Bombeiros Militares do Brasil e, infelizmente, a proposta parada na Câmara dos Deputados aguarda votação em 2º turno. “Aliás”, diz Cabo Wilson, “na semana de 08 a 11 de julho, o nosso Diretor de Patrimônio, Nilton dos Santos e o Sócio-Convocado dos Cabos e Soldados, Josemar Oseas da Silva, foram ao Distrito Federal coordenando um ônibus com 45 associados. Eles transformaram-se em testemunhas oculares da votação no Senado Federal pela anistia dos Bombeiros Militares do Rio de Janeiro que fizeram paralisação e, na época, 2011, foram expulsos. Agora, anistiados, o Governo do Estado do Rio de Janeiro está obrigado a reintegrá-los atualizando os salários não pagos. Às véspera do recesso parlamentar, a  PEC 300 foi mais uma vez empurrada com a barriga pelos deputados e só nós sabemos da necessidade de se aprovar com urgência a PEC 300, devido aos baixos salários dos Policiais e Bombeiros Militares no Brasil. Há quem diga que a votação em segundo turno ficará para o próximo dia 20 ou 21 de agosto. Estaremos lá para conferir”, finalizou Cabo Wilson.

Artigos relacionados