Repúdio à jornalista Daniela Lima, da CNN, sobre ação da Polícia Civil do RJ

Uma infeliz realidade se repete: mais uma vez a polícia é alvo de discurso de ódio, baseado em uma visão limitada a respeito do seu difícil trabalho.

Após uma ação da Polícia Civil do Rio de Janeiro, fruto de 10 meses de investigação, na favela do Jacarezinho, a jornalista Daniela Lima, do CNN 360°, sem qualquer fundamento técnico sobre ações policiais, proferiu palavras, no mínimo, lamentáveis a respeito da ação realizada. Em seu discurso durante a apresentação do jornal, além de condenar a polícia pelo número de suspeitos mortos (27), ela ainda disse que “mataram somente um” policial civil.

Infelizmente, o discurso pobre e infeliz dessa jornalista reflete o despreparo na mídia brasileira em assuntos relacionados à segurança pública e, também, o descaso em relação à vida dos policiais.

A morte de traficantes ou pessoas envolvidas no crime organizado em confronto com a polícia é sempre motivo de protestos, cobranças e lamentações. Mesmo quando há provas de que as “vítimas”, são envolvidas com o crime, como no caso do Jacarezinho, onde 25, dos 27 mortos em confrontos, já tinham antecedentes criminais.

Quando um policial morre, mal se ouve falar a respeito e, muito menos, há cobranças e pressão para que o criminoso que o alvejou seja preso. Claramente há uma inexplicável e temerária inversão de valores. Seria a vida de um criminoso mais valiosa do que a de um policial?

Repercussões como essas, apesar de, infelizmente, já terem se tornado comuns na mídia brasileira, não refletem a realidade no cotidiano profissional e pessoal dos policiais. O problema maior disso é o poder que essa falácia sem fundamento tem como reflexo na opinião pública a respeito daqueles que trabalham para servir e proteger a sociedade.

A Associação dos Cabos e Soldados (ACS) não aceita e não se cala diante de tamanha injustiça à classe policial. À jornalista Daniela Lima, o nosso total repúdio pelo desrespeito e descaso com a vida de um policial e toda a categoria, e, aos Policiais Civis envolvidos na ação do Rio de Janeiro, nossa solidariedade pelas injustiças a qual estão sendo vítimas e nosso respeito pelo duro trabalho realizado.

A ACS presta sinceras condolências à família e amigos do policial civil André Frias, morto durante a operação.

Artigos relacionados