REAJUSTE ZERO PARA A POLÍCIA MILITAR EM 2015

site - reajuste zero 2015

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira, 29 de setembro, na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, o titular da pasta, Dr. Alexandre de Moraes, informou ao Presidente da CERPM, Angelo Criscuolo, e aos presidentes das entidades que compõem a CERPM, que não haverá reajuste de salário para a Polícia Militar em 2015.

A justificativa do Governo é a crise econômica que se abate sobre o país, prejudicando a arrecadação do Estado, o que impossibilitaria o aumento da folha de pagamento.

O presidente Angelo Criscuolo manifestou de imediato sua indignação e decepção com a resposta transmitida pelo secretário, uma vez que as entidades aguardavam há mais de quatro meses uma análise do Governo sobre os índices de reajuste. Em 19 de maio passado, a CERPM entregou ao secretário Alexandre de Moraes um estudo completo sobre os aumentos de salários da Corporação nos últimos anos, apontando as defasagens e projetando o impacto nas contas públicas de um reajuste de 15% para 2015 e 2016. O Governo não enviou sequer uma contraproposta.

“Como o Estado mais rico da Federação paga para a sua Polícia Militar o 16º salário do país e afirma não ter condições de oferecer nenhum reajuste para seus policiais?”, perguntou o presidente Angelo Criscuolo. A resposta do secretário foi que o Estado mais rico é também, segundo ele, o mais afetado pela crise.

Negociação
O secretário Alexandre de Moraes disse que os canais de negociação continuam abertos e que ele será “o primeiro da fila” em busca de uma remuneração melhor para PM quando as finanças do Estado sinalizarem alguma recuperação. Desculpou-se por ser o portador de uma má notícia para toda a tropa e agradeceu a presença de todos.

Estiveram presentes os presidentes das seguintes entidades representativas dos policiais militares: ASSPM, ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS, AIPOMESP, AFAM, AOMESP, APMDFESP, ADEPOM E PAULISERV. Também participou da reunião o Subcomandante da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Cel PM Francisco Alberto Aires Mesquita.

Representou a ACS o presidente Cabo Wilson Morais, o presidente do Conselho Fiscal, Gilson Braga, e o diretor de Comunicação Social, Ronaldo Carlos Scheibel.

Nova reunião
A Coordenadoria das Entidades marcará nova reunião, em caráter de urgência, para traçar as providências que serão tomadas com relação ao aumento.

A ACS lamenta e repudia a declaração do Governo do Estado!

 

Artigos relacionados