NOTA DE REPÚDIO – O desserviço prestado pela mídia

nota-de-repudio_
Imagem: Google

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo (ACSPMESP) mais uma vez é surpreendida pela voracidade demonstrada pela mídia ao noticiar uma ocorrência de furto de veículo, realizado no dia 2 de junho de 2016, envolvendo dois garotos, de 10 e 11 anos, na zona sul da capital.

O garoto de 10 anos acabou morto ao ser atingido por um disparo efetuado por policiais militares que revidaram outros tiros disparados pelos ocupantes do veículo.

O caso ainda está sendo investigado, inclusive pela Corregedoria da Polícia Militar, mesmo após a declaração do garoto de 11 anos, amigo do outro que faleceu, afirmando que haviam disparado contra os policiais.

De qualquer forma, a mídia se refere aos garotos como “suspeitos” do furto, mas já acusa os policiais militares de terem matado o garoto.

Fica muito clara a ausência da aplicação da ética nessas divulgações irresponsáveis. Por se tratar de um garoto, o culpado então só pode ser o adulto? Porque é um garoto não sabe o que está fazendo e não sabe discernir o que é certo e o que é errado? Os direitos humanos têm a função de protegê-lo somente porque é menor e vem de uma família desestruturada, com uma mãe que acabou de sair do presídio e do pai que está preso? E a ficha criminal do garoto foi conquistada em decorrência da falta de oportunidade e de estrutura?

Além das críticas de integrantes dos direitos humanos, temos que engolir também absurdos de autoridades dizendo que “é inadmissível uma criança ser morta hoje ainda mais numa troca de tiros com a polícia”, como disse o ouvidor das polícias de São Paulo, Júlio César Fernandes Neves, sobre o caso. Será que o senhor ouvidor, se estivesse na situação dos policiais, levando tiros das crianças, se sensibilizaria na hora e pediria para conversar?

Não se pode condenar alguém sem a conclusão das investigações!

Já passou da hora da mídia trabalhar de forma séria e imparcial. Ultimamente, um dos maiores inimigos da Polícia é a mídia!

A diretoria da ACS repudia veementemente este claro desserviço prestado pela mídia à nossa sociedade, crucificando nossos policiais que sacrificam a própria vida para garantir a segurança de todos.

Wilson de Oliveira Morais
Presidente da ACSPMESP

Artigos relacionados