Nota de esclarecimento

Prezando pela transparência e clareza em sua gestão, a Associação dos Cabos e Soldados emite uma nota de esclarecimento sobre os recentes acontecimentos envolvendo uma ação judicial movida por um associado, no intuito do adiamento das eleições do quadriênio 2018/2022.

Veja abaixo:

“A Associação dos Cabos e Soldados, em rigoroso cumprimento ao seu Estatuto Social, realiza eleições de 4 em 4 anos para sua Diretoria, Conselho Fiscal e Regionais. Para tanto, os candidatos interessados devem formar uma chapa composta de associados que preencham individualmente os requisitos estatutariamente exigidos, e requerer a inscrição dessa chapa no prazo estabelecido.

A chapa “Trabalho e Honestidade”, presidida pelo Cb Wilson, vem sistematicamente sendo reeleita, ao longo das últimas eleições, mercê do trabalho realizado e da competência administrativa, tanto assim que até então nenhuma chapa de oposição havia se apresentado para concorrer.

Nas últimas eleições, para o quadriênio 2018/2022, o associado Vladimir de Carvalho Martins, almejando presidir a Entidade – o que, aliás, é direito de todo e qualquer associado que preenche os requisitos estatutários -, tentou formar uma chapa de oposição, mas não logrou êxito nisso, porquanto não conseguiu agregar o número mínimo de associados para compor uma chapa e, mais do que isso, perdeu o prazo para inscrição às eleições, acontecidas no dia 04/01/2018.

Demonstrando completo desconhecimento do Estatuto, referido associado, isoladamente, ingressou com ação judicial para o adiamento das eleições designadas, de tal sorte que pudesse, segundo ele, dispor de mais tempo para a formação da chapa.

Mencionada ação judicial foi sumariamente extinta pelo Juízo da 6ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo, em sentença posteriormente confirmada pelo Egrégio Tribunal de Justiça, por intermédio de sua 3ª Câmara de Direito Privado (Apelação Cível 1125809-81.2017.8.26.0100).

Dessa forma, e sempre norteada pela necessária transparência em sua administração, a Diretoria Executiva, os membros do Conselho Fiscal e as Diretorias Regionais da ACS vêm a público prestar os presentes esclarecimentos, de forma a que os interessados não se deixem influenciar por fake news de autoria de pessoas descompromissadas e desleais aos ensinamentos da Polícia Militar e de sua mais significativa e importante Entidade de Classe.”

Artigos relacionados