ACS repudia proibição do uso de “mata-leão”

Mais uma vez o Governo do Estado de São Paulo prestou um desserviço aos policiais militares. No dia 31 de julho a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que os PMs do Estado estão proibidos de usar o recurso conhecido pelo nome “mata-leão” como procedimento nas imobilizações em abordagens ou ocorrências que necessitem do uso de força física dos agentes de segurança.

Tal decisão do órgão, além de ser irresponsável, por colocar a vida dos PMs em risco, inverte a posição de vantagem em casos de resistência ou tentativas de luta corporal de suspeitos contra aqueles que estão lá em defesa da sociedade. Ora, quem precisaria de proteção do Estado na luta do bem contra o crime não seriam os policiais militares? Por que favorecer a criminalidade?

Uma vez que o PM só tem autorização para utilização de armas de fogo caso criminosos atirem primeiro, o que gera mais ousadia de marginais contra a Polícia Militar, a restrição do uso de um recurso de imobilização pode causar danos irreparáveis à família de diversos PMs. O fato de o policial ter mais uma limitação em situações onde há um risco para a integridade física pode ser considerado como mais um incentivo a tentativas de luta corporal por abordados.

A Associação dos Cabos e Soldados (ACS) é totalmente contrária à decisão da SSP e reivindica mais respeito às vidas dos policiais militares do Estado. Todos os dias eles estão nas ruas colocando suas vidas em risco em prol da sociedade e não podem ser tratados com descaso e desrespeito. Suas vidas não devem ser colocadas a mercê de marginais.

Ao Governo do Estado, fica o repúdio da ACS por mais uma decisão tomada sem embasamento na realidade enfrentada pelos policiais militares nas ruas e a indignação pela infeliz gestão que, até o momento, não trouxe nenhum benefício à classe policial militar.

Artigos relacionados